No primeiro Semestre de 2021, a proposta do Seminário Psicanálise e Criminologia é estudar o diagnóstico diferencial entre perversão e psicose. O estudo terá por base o assassino em série francês Henri Désiré Landru (1869-1922).

1º Encontro - 04/03/2021
• Apresentação do Seminário.

2º Encontro - 18/03/2021
• O Diagnóstico em Psicanálise.
• Fenômeno x Estrutura.
• Neurose, Perversão e Psicose.

Bibliografia:

Ana Cristina FIGUEIREDO e Ondina MACHADO

(2000) O Diagnóstico em Psicanálise: do fenômeno à estrutura 
In: Àgora, v.III, n.2, jul dez 2000; p. 65-86.

 

Antonio QUINET

As 4 + 1 Condições da Análise
Zahar, 13ª impressão, 2013. 

 

Sigmund FREUD

(1905) Três ensaios sobre a teoria da sexualidade
In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (ESB). v.VII.   Rio de Janeiro: Imago, 1996.

3º Encontro - 01/04/2021

● Perversão x perversidade

● Estrutura Clínica Perversão

 

Bibliografia:

Elias ABDALLA-FILHO, Miguel CHALUB; Lisieux E. de Borba TELLES

Psiquiatria Forense de Taborda.

3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2016.

 

Sándor , FERENCZI

 O pequeno homem galo

In: Obras Completas, vol II, Maritns Fontes, 2011.                                                     

 

Sigmund, FREUD

(1905). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade.  

In: Edição Standart Brasileira.  op.  cit., v. VII., 1996.

 

(1915). As pulsões e seus destinos.

 In: ESB, op. cit., v. XIV, 1996.

 

(1919). Uma criança é espancada: uma contribuição ao estudo da origem das perversões sexuais.

In: ESB, op. cit., vol. XVII, 1996.

 

(1927). Fetichismo.

In: ESB, op. cit., v. XXI, 1996.

4º Encontro - 15/04/2021
● Fetichismo

● Henri Désiré Landru

 

Bibliografia:
 

Sigmund FREUD

 (1927) Fetichismo.

In: ESB, op. cit., v. XXI, 1996.

 

Marie-Laure SUSINI

O autor do Crime Perverso.

Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 2006.

henri_landru.png

5º Encontro - 29/04/2021

Henri Désiré Landru

(1869-1922)

Foi um assassino em série francês do século XIX, julgado no palácio de Versalhes e condenado à guilhotina.  

Em 12 de abril de 1919, às seis horas da manhã, Henri Désiré Landru, comerciante de móveis, com o falso nome de Lucien Guillet, foi levado à Secretaria de Segurança de Paris, suspeito de ser responsável pelo desaparecimento de duas mulheres.

 

Lucien Guillet era mais um dos múltiplos pseudônimos de Landru. Outros psudônimos: Diard, Fremyet, Dipont, Cuchet, Morel, Petit, Tartempion, Forest de Barzieux.

 

Ele ficou na memória popular dos franceses e é conhecido como o assassino de mulheres que as queimava no forno, reduzindo-as a cinzas. Será chamado de Barba Azul da contemporaneidade.

 

Ao ser preso, portava um caderninho de anotações com uma lista de mulheres e, entre elas, o nome das duas desaparecidas, cujas famílias haviam acionado a polícia. Assim, para o delegado ficou configurado que Landru era o responsável pelos misteriosos desaparecimentos. A lista de nome de mulheres desaparecidas continha a anotação das horas das mortes. Não havia em suas anotações o objetivo de camuflar os disfarçar os crimes. Havia também anotações de todas as compras de serrotes, serras de mão e pinças. As anotações serviram de prova para condená-lo, apesar dele negar todos os crimes.

unnamed.jpg

Bibliografia:

 

Marie-Laure SUSINI

O autor do Crime Perverso.

Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 2006.

 

Manoel Barros da MOTTA

O crime à luz da psicanálise lacaniana.

Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017.

6º Encontro - 13/05/2021

Henri Désiré Landru

(1869-1922)

● O engenheiro que acobertava o trapaceiro dá lugar ao vendedor de móveis que acoberta o assassino;

● As perícias médicas;

● As prisões;

● A conquista das mulheres e os assassinatos.

a12.jpg

O anúncio matrimonial de Landru:

"Eu desejo um amor verdadeiro, de sentimentos que possam assegurar uma felicidade duradoura. Eu sou bastante livre para lhes declarar de pronto que da minha parte as condições financeiras não interferirão em nada na escolha de uma esposa, mas eu desejo sobretudo, uma mulher de coração, boa dona de casa, do interior, verdadeiramente digna desse nome, que possua uma afeição sincera, uma companheira charmosa e ao mesmo tempo com bela ternura (BIAGI-CHAI, 2007, p. 62)"

Bibliografia:

Francesca BIAGI-CHAI

LE CAS LANDRU à lumière de la psychanalyse

Paris: Imago, 2007.

7º Encontro - 27/05/2021

Henri Désiré Landru

(1869-1922)

● O julgamento de Landru: depoimentos, revelações e respostas dadas pelo acusado.

● A execução – 25 de fevereiro de 1922

 

O julgamento de Landru, iniciado em 07 de novembro de 1921,  foi no Palácio de Versalhes (França) e transformou-se em um espetáculo. Pessoas de toda parte deslocaram-se para Versalhes para escutar as acusações da promotoria e as respostas irônicas de Landru, que provocavam aplausos e risos da plateia.

Landru foi acusado de matar 10 mulheres e 1 rapaz, queimá-los no forno e apropriar-se de seus bens. Foi considerado culpado e condenado à pena de morte. Sua execução foi na Guilhotina em Versalhes e contou com a presença de uma multidão.

1.jpg

Bibliografia:

Maria Elisa F. G CAMPOS e Maria Josefina Medeiros SANTOS

O caso Landru e a ironia na psicose.

Revista aSEPHallus de Orientação Lacaniana, 9(18), 85-102.

Rio de Janeiro, mai. a out. 2014.

8º Encontro - 10/06/2021 - 19:30 às 21:00 horas

WhatsApp Image 2021-06-08 at 00.11.09.jp

O psicanalista e escritor Germano Martins será recebido para debater o filme Monsieur Verdoux (em Portugal intitulado O Barba Azul), de 1947, dirigido e protagonizado por Charles Chaplin. O filme é baseado no assassino em
série francês Henri-Désiré Landru.

9º Encontro - 24/06/2021 - 19:30 às 21:00 horas

● Últimos comentários sobre o filme Monsieur Verdoux  (1947 -  Charles Chaplin)

● Breves considerações sobre o caso Lázaro Barbosa

● Henri Désiré Landru (1869-1922) - finalização do caso